Estou com os Azeites.

Estar com os azeites é uma expressão que significa estar irritado, mal-humorado ou mesmo furioso. Não se aplica ao assunto sobre o qual quero falar.

Um azeiteiro é uma expressão que usamos alguém tem um comportamento sem noção. Não sei bem descrever mas diria que é sem noção que é parolo. Alguém me quer ajudar aqui nesta descrição? Do que é ser Azeiteiro? Tuning? Unhas de gel com brilhantes?

No entanto, não se aplica de todo ao assunto que me traz aqui.

Não entendo porque é que o azeite na nossa língua se tornou num termo tão depreciativo quando é detentor de classe e bom gosto. A nossa culinária baseia-se neste ingrediente fundamental sem o qual não vivemos e por isso devemos-lhe respeito! Um respeito maior do que o que temos vindo a ter. Estar com os azeites deveria ser estar ao seu lado! Defender o seu uso. Ser azeiteiro deveria ser ser o maior embaixador da cozinha mediterrânea. Mas não é nada disto.

Por mim, começamos agora a respeitar a nossa tradição mais azeiteira. Como nas pessoas que nos passam pela vida existem várias personalidades, assim a comida pode ter mais ou menos personalidade. Acho que conseguem entender o que quero dizer. Pode ser algo inesquecível ou simplesmente uma coisinha para tapar o buraco do estômago. Assim, quando cozinhamos ou apreciamos novos pratos, se escolhermos o alimento certo, tudo vai fazer a diferença. E porque as coisas boas são para ser divulgadas, ainda para mais quando são projectos de amigos próximos de quem se gosta muito, há que falar sobre isso! E não, não é publicidade paga. Chamem-lhe amizade ou assim. E assim sendo, sem mais demoras falo-vos do Zaitun.

zaitun

Ora Zaitun, significa azeitona em árabe mas não poderia ser mais português. Tem origem em azeitonas de oliveiras centenárias, colhidas à mão em olivais de duas pitorescas aldeias da Beira Baixa, perto de Castelo Branco. O António e a Susana, os sonhadores deste projecto, inspiraram-se no facto das primeiras oliveiras terem surgido há milhares de anos em território árabe. Envoltos na nossa cultura mediterrânea, vivem esta aventura de um modo à antiga dado que o azeite é extraído a frio e por processos unicamente mecânicos.

Sei que ainda é cedo para falar em prendas de Natal, mas pensem com carinho em condimentar os presentes dos vossos amigos e família. Se quiserem ter acesso à edição especial do ano passado, ainda há algumas garrafas! Eu ofereci a muita gente no último Natal e toda a gente ficou muito contente! Promoção especial até ao fim do mês de Outubro com 3 garrafas por 24€ e 6 garrafas por 45€! Compras em www.zaitun.pt , se quiserem escrevam nas observações quando efectuarem a compra que viram aqui no blog!

Têm amigos com projectos giros? Comentem este artigo com links 🙂 vamos todos partilhar um pouco de amizade!

E agora uma curiosidade:

zaitun

 Photo Credits: Zaitun & Nick Kenrick

2 Comments

  1. Defensores do azeite, unam-se! :p É verdade, não compreendo o porquê de “azeite” ser considerado um termo depreciativo!

    Já conheces o Projecto Cartas Cruzadas? :p (http://pcartascruzadas.blogspot.co.uk/) Acho que ias gostar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

UA-66897269-1