365 Pérolas Escondidas de Lisboa. #11-20

(Ver 1ª parte do artigo aqui)

11. Pastéis de Massa Tenra da Frutalmeidas

Não há pastéis de massa tenra como estes. Se ainda não provaram, é altura de correr até à Avenida de Roma sem olhar para trás. Acompanhem com um sumo de fruta fresquinha do dia. Não se irão arrepender!

12 – Jardim da Cerca da Graça

Recentemente um novo jardim se ergueu na nossa cidade. Ligeiramente abaixo de um célebre e conhecido miradouro da Graça, nasce este espaço verde com um quiosque, ideal para um domingo solarengo.

13- O Eurico

Não há nada como um bom restaurante tradicional. Daqueles onde as doses são imensas e o vinho não acaba. Boa comida numa tasca típica. E se comessem em pleno mini-mercado? O Eurico é um ícone e vale a pena passar lá a provar a cabeça de peixe ou o cozido.

14- O Castelinho da Faculdade de Farmácia

Sabiam que há quem nos seus dias da faculdade estudasse perto de um castelo digno de princesas e príncipes? Em tempos esteve cheio de laboratórios, há uns anos abriu pelas mãos da associação de estudantes e certamente ainda será palco de muitas “estórias”.

15- Pho-Pu

Já experimentaram comer Pho? Se a viagem ao Vietname não está para breve, aconselho um saltinho à Rua do Benformoso.

16 – As fotografias da Camilla Watson na Mouraria

Os sítios são em grande parte as pessoas que os habitam. É isso que é aqui demonstrado nas ruas da Mouraria por esta fotógrafa. Ao passearmos na rua podemos conhecer um pouco sobre quem ali vive. A não perder!

17 – Bubble Tea no Amanhecer do Martim Moniz

Não sei se já aderiram à moda e tiveram oportunidade de provar um bubble tea. Já provei em todos os sítios que encontrei e penso que este é o mais próximo do original. Por essa razão aconselho o Bubble original e o matcha 🙂

18 – Escrever, Escrever de tudo um pouco

Sou suspeita mas isto é uma área que me interessa bastante. Aqui podem aprender como escrever uma série de estilos diferentes. Porque a criatividade e uma folha de papel são o que este mundo precisa.

19 – Os Trabalhos do Bordalo II espalhados na cidade

Como é que eu posso explicar o quanto admiro o trabalho do Bordalo II? Está tudo no seu “sobre” no facebook:

I was born in Lisbon, 1987. I belong to a generation that is extremely consumerist, materialist and greedy. With the production of things at its highest, the production of “waste” and unused objects is also at its highest. “Waste” is quoted because of its abstract definition: “one man’s trash is another man’s treasure”. I create, recreate, assemble and develop ideas with end-of-life material and try to relate it to sustainability, ecological and social awareness.

20 – Gelado da Nannarella

Morar a alguns passos deste sítio é um problema. Um problema bom mas claramente um problema. Flor de Manjericão sempre. 🙂

Em breve virão mais 10 ? Se tiverem coisas que acham que devem mesmo ser partilhadas e são pérolas da nossa cidade, comentem que eu irei lá presencialmente experimentar. Pode ser qualquer coisa!

(to be continued)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

UA-66897269-1